sábado, 1 de janeiro de 2011

Subsídio da Lição 1 da Escola Dominical (Cpad)

ATOS – A AÇÃO DO ESPÍRITO SANTO ATRAVÉS DA IGREJA
Texto Áureo: At. 1.8 – Leitura Bíblica: At. 1.1-5

Pb. José Roberto A. Barbosa

Objetivo: Mostrar aos alunos que a igreja, apesar de suas limitações locais, quando direcionada pelo poder do Espírito Santo, testemunha, com ousadia, sobre a ressurreição de Cristo.

INTRODUÇÃO
Neste trimestre estudaremos o livro de Atos dos Apóstolos, que, na verdade, pode ser referido como Atos do Espírito Santo através dos Apóstolos, ou se, preferir, através da Igreja. A série de treze lições abordará os seguintes temas: 1) Atos – a ação do Espírito Santo através da igreja; 2) A ascensão de Cristo e a promessa de Sua vinda; 3) O derramento do Espírito Santo no Pentecostes; 4) O poder irresistível da comunhão na igreja; 5) sinais e maravilhas na igreja; 6) A importância da disciplina na igreja; 7) Assistência social, um importante negócio; 8) Quando a igreja de Cristo é perseguida; 9) a conversão de Paulo; 10) o evangelho propaga-se entre os gentios; 11) o primeiro concílio da igreja de Cristo; 12) as viagens missionárias de Paulo; e 13) Paulo testifica de Cristo em Roma. Na lição de hoje, a primeira, trataremos a respeito dos aspectos gerais do livro: autoria, local, data, tema, contexto, conteúdo, propósito e valor.

1. AUTORIA, LOCAL, DATA E TEMA
Atos não menciona o seu autor em lugar algum do livro, mas o autor se apresenta em algumas situações da narrativa na primeira pessoa do plural “nós” (At. 16.10-17; 20.5-15; 21.1-18; 27.1-28.16). Tradicionalmente, a autoria do livro é atribuída a Lucas, a pessoa conhecida por esse nome no Novo Testamento, o médico, amigo e companheiro de Paulo (Cl. 4.14. Fm. 24; II Tm. 4.11). Os escritores do Séc. I da igreja, dentre eles Irineu (180 d. C), cita Lucas como o autor do terceiro evangelho, que leva o seu nome, e de Atos. Essa relação é identificada nos textos bíblicos, pois Lucas, está relacionado tanto à escrita do evangelho (Lc. 1.1-4; At. 1.1,2). Não podemos precisar com exatidão o local no qual Atos dos Apóstolos foi escrito. A tradição associa Lucas a Antioquia, e há algumas possibilidades desse livro ter sido escrito naquele lugar, ainda que alguns estudiosos considerem Roma e Éfeso como lugares prováveis onde Atos teria sido composto. Pela natureza dinâmica da composição, os estudiosos defendem que Atos não teria sido escrito em ano específico, esse livro seria o resultado de um diário contínuo, terminado, ainda que não concluído, antes de 70 d. C. O tema central de Atos pode ser explicitado a partir de At. 1.8: o poder do Espírito Santo sobre a Igreja a fim de que essa possa dar testemunho do evangelho de Cristo em toda terra.

2. CONTEXTO, CONTEÚDO E PROPÓSITO
O título do livro, em grego, é praxei apostolon, e em latim, acta apostolorum, podemos, então, concluir que se trata de um documento histórico, com ênfase na igreja, e mais especificamente, nos atos e vida dos apóstolos. A ênfase do livro repousa no ministério de Paulo, que, por aquele tempo, era acusado pelos judaizantes de não ser um apóstolo legítimo (I Co. 15.8-11; Gl. 1.11). Há quem defenda que o relato de Atos, com ênfase no ministério paulino, poderia ser um documento em defesa do seu apostolado, algo que ele faz com maestria em sua Segunda Epístola aos Coríntios. O objetivo primordial de Atos, no entanto, não é retratar a vida de Paulo, o apóstolo dos gentios, mas revelar a mensagem de Jesus Cristo, a boa notícia para todas as nações, é a partir dessa perspectiva que Lucas faz seu registro histórico (Lc. 24.26). A primeira parte de Atos narra como o evangelho foi aceito inicialmente em Jerusalém, como nasceu a Igreja e como ela vivia. A segunda parte descreve o avanço do evangelho em direção a Samaria e Antioquia na Síria. Em seguida, registra as viagens missionárias de Paulo, mostrando como o evangelho de Jesus penetrou o império romano. No meio do livro, exatamente no capítulo 15, é registrada a disputa em torno da questão judaica, isto é, se os cristãos podem fazer parte do povo de Deus sem que antes se tornem judeus. Mesmo diante da adversidade no qual o livro é encerrado, Paulo preso em Roma, as palavras são esperançosas: “Pregando o reino de Deus, e ensinando com toda a liberdade as coisas pertencentes ao Senhor Jesus Cristo, sem impedimento algum” (At. 28.31).

3. O VALOR ATUAL DE ATOS
O livro de Atos é fundamental para igreja contemporânea, graças a ele podemos reconstituir, com detalhes, o desenvolvimento da carreira missionária de Paulo e saber como o evangelho se espalhou pelas cidades do império romano. Na verdade, a partir desse livro é possível estabelecer o fundamento histórico sobre os qual a igreja cristã primitiva estava alicerçada: o derramamento do Espírito Santo no dia de pentecoste, a oposição sofrida pela igreja perante as autoridades judaicas, as bases da missão entre os gentios, o martírio de Estevão e a evangelização de Filipe, as conversações de Saulo e Cornélio, a fundação da primeira igreja grega em Antioquia. Esse livro também nos serve de inspiração, pois tem sido, ao longo dos séculos, um desafio para a igreja de todos os tempos refletir a respeito dos seus primórdios, a fim de que imitar o que houve de melhor naquele tempo. É preciso, porém, certa dose de realismo ao ler Atos dos Apóstolos, não podemos fechar os olhos às falhas da igreja primitiva: rivalidades, hipocrisias, imoralidades e heresias. Mesmo assim, tais fragilidades servem também de instrução para a igreja atual a fim de que essa não se deixe conduzir por carnalidades e secularismos. Apesar da sua falhas e defeitos, a igreja de Jesus Cristo, cheia do Espírito Santo, foi capaz de testemunhar de Cristo até aos confins da terra.

CONCLUSÃO
Neste ano do Centenário da Assembléia de Deus no Brasil, teremos a grata satisfação de iniciar o ano estudando o livro de Atos dos Apóstolos. Que a igreja do Senhor tenha humildade para se deixar avaliar pelo crivo da Sagrada Escritura. Como Calvino, admitamos que Atos é um “enorme tesouro”, ou conforme afirmou o médico, pastor e pregador Martin Lloyd Jones sobre Atos: “vivei neste livro, eu vos exorto, ele é um tônico, o maior tônico que conheço no domínio do Espírito”. Que todos nós, alegres por sermos assembleianos, neste ano de comemoração, não esqueçamos de tomar o tônico do Espírito Santo.

BIBLIOGRAFIA
MARSHAL, I. H. Atos: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1982.
STOTT, J. A mensagem de Atos. São Paulo: ABU, 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...